quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Série Pinus e Resina - Pinus elliottii var. elliottii

A partir deste mês, o Blog Resina de Pinus apresentará matérias dedicadas a espécies de pinus utilizados para obtenção de goma resina, e a escolha da sequência destas se dará pela importância e número de árvores resinadas, primeiramente no Brasil e em seguida nos países com maior produção de resina. 
Iniciaremos a Série Pinus e Resina com o Pinus elliottii var. elliottii.


Taxonomia:

Reino: Plantae
Divisão: Pinophyta
Classe: Pinopsida
Ordem: Pinales
Família: Pinaceae
Gênero: Pinus
Subgênero: Pinus
Espécie: P. elliottii

Variedade: P.elliotti var. elliottii e P. elliottii var. densa


Pinus elliottii var. elliottii Engelm. (Slash Pine)

O pinus elliottii é uma espécie de pinheiro, composta por duas variedades distintas: P.elliotti var. elliottii e P. elliottii var. densa, originárias da américa do norte, principalmente no Canadá e Estados Unidos, sendo difundido em vários outros países com grandes reflorestamentos, e no Brasil, principalmente nos estados de São Paulo, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Espirito Santo, Com ocorrências em Minas Gerais, Rio de Janeiro e Mato Grosso do Sul.
É uma espécie de crescimento rápido e pode viver cerca de 200 anos, possui entre 18 e 30 metros de altura, caule reto e cilíndrico com diâmetro entre 0,60m e 0,80m, com casca sulcada e acinzentada em plantas jovens e tom marrom-avermelhado em plantas adultas, a casca possui placas escamadas, a copa geralmente é irregular com raio superior a 3,0m. As folhas ou acículas, são pontudas e finas, de cor verde brilhante e comprimento entre 18 e 24 cm, ramos em grupos de dois ou três. A floração geralmente ocorre na primavera. A pinha de formato cônico pesa em média 46g com dimensões entre 12,5 cm x 4,5 cm, produz em média 10 gramas de sementes, de formato triangular, de cor preta e alada.
A madeira do pinus elliottii var. elliottii, tem características apreciadas pela indústria madeireira, no processamento mecânico, fácil de ser trabalhada e excelente na produção de resina, adaptando-se a regiões mais frias. (Clique aqui)
A espécie é muito utilizada para a obtenção da resina, que possui qualidades químicas que proporcionam derivados de ótima qualidade, sendo muito procurados no mercado interno e externo.
A extração comercial da resina de pinus elliottii, iniciou-se no Brasil no final dos anos 70, e rapidamente tornou-se um país exportador, tendo a produção concentrada no estado de São Paulo, e posteriormente introduzida em outros estados do Sul. Hoje o Brasil é o segundo maior produtor mundial e possui diversas indústrias consumidoras de goma resina, das quais algumas possuem reflorestamentos e produção própria.
A goma resina do pinus elliotttii é a base de diversos produtos, que separada inicialmente em duas partes, a fração volátil chamada terebintina e a fração sólida chamada colofônia ou breu, utilizadas para a fabricação de diversos produtos como colas, tintas para impressão, tintas para pintura, vernizes, adesivos, soldas, detergentes, cosméticos, alimentos, borrachas sintéticas, entre diversos outros.
Em países vizinhos como Argentina e Uruguay, também podem ser encontrados reflorestamentos de pinus elliottii, inclusive áreas sendo resinadas, e empresas de melhoramento genético.
Bastante utilizada em reflorestamentos no estado de São Paulo, em Hortos Florestais, com planos de manejo e resinagem de médio e longo prazo, é possível observar áreas sendo exploradas durante 20 anos ou mais.
Na China também é possível encontrar florestas de pinus elliottii, na região de Jiangxi, sendo resinadas, porém no "sistema chinês", método descendente e sem estimulação química. O Brasil conquistou uma importante posição no cenário químico florestal mundial, tanto na quantidade quanto na qualidade, e também pela eficiência produtiva, conseguindo desde 2,5kg até 6kg por face/ano.
Estudos para o melhoramento genético, e produção de pomares clonais de pinus elliottii, vem sendo desenvolvidos por pesquisadores e empresas, visando melhorar a produtividade de madeira, resina e proporcionar reflorestamentos mais uniformes.
O sistema de resinagem em pinus elliottii, no método "brasileiro", ascendente com estimulação química,  devido à casca ser mais fina e macia, bem como a resina mais fluída, permite a extração de até 4 metros de altura (ou mais), em forma de "V", com um instrumento especial e cabo comprido.
A resina produzida tem um valor de mercado acima das resinas chamadas "tropicais", pelas propriedades químicas e obtenção de derivados de ótima qualidade.

A variedade densa, é muito menos utilizada para extração de resina, por ser menos produtiva, sua madeira é mais dura, assim como a casca. Variedade mais indicada para indústria de madeira.

Fotos:
Resinagem em P. elliottii var. elliottii

 P. elliottii var. elliottii

 P. elliotii var. elliottii - Sistema Silvipastoril

Breu / Colofônia

Por Thannar Bubna

Direitos Autorais Reservados.

Nenhum comentário:

Pesquise sobre resina de pinus aqui

Custom Search

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

PagSeguro UOL

Total de visualizações de página

Video sobre resineiros em Portugal